23.4.09

Foi bom!

É, sem dúvida que foi muito bom ter tido este cantinho.
Teve alturas em que já chateava os comentários (quem não quer não lê, certo? Que este espaço é meu.) ou deixava de saber bem saber ser lida por quem não me apetecia.
Mas foram dias, como os houve bons e muito bons, como foi havendo alterações e mudanças, do privado ao menos privado, do directo ao menos directo.
Mas, acima de tudo, o que fica é um sabor doce e ter tido a passagem de algumas pessoas por cá foi um privilégio.
A elas, OBRIGADA pela companhia e partilha. Vemo-nos por aí! ;O)

16.4.09

Dia 23

Dia 23, este blog faz 3 aninhos.
Três aninhos que aqui ficam, de alguma forma, registados.

Entretanto, confirmo estar na hora de mudar de ares, de voar para outras paragens, seguir outros rumos.

Tenciono deixar uma palavra no dia do seu/nosso aniversário, mas depois... sigo caminho!

14.4.09

Some sentences that "ring a bell"



"(...) o casamento surgiu na história da humanidade porque as pessoas não conheciam o amor. Então inventaram o casamento, para conseguirem manter-se juntas."
in O Amor é uma Carta Fechada, Quintino Aires


"Não são os idosos que são doentes. A sociedade é que está doente."
Graciano, formando de um curso de Geriatria


"O importante não é dar anos à vida, mas sim vida aos anos."
Organização Mundial de Saúde (OMS), sobre Longevidade

19.3.09

Educação dos Filhos

"Aos pais pertence a prioridade do direito de escolher o género de educação a dar aos filhos"
Art. 26º da Declaração Universal dos Direitos do Homem

16.3.09

A colocar em prática


Porque está muito bom;
Porque fiquei colada ao écra do computador;
Porque tenho o livro, mas não me recordo de ler esta parte (não é um livro para ler de fio a pavio);
Porque há semanas falava-se disto mesmo, com um amigo, que me tem ajudado a ser;
Porque me faz todo o sentido e acredito que também o fará a muitos de vós.

Obrigada por esta partilha de sabedoria tão grande.

Há que a colocar em prática!


13.2.09

Playmobile e Rafa

Há uns dias dei por mim a fazer uns kms prá direita, outros prá esquerda, outros pra cima e outros para baixo, a deixar o carro estacionado com os 4 piscas, a entrar e sair a correr de uma loja, a percorrer lojas e secções de bonecos em grandes superfícies, a perguntar "Tem a marca Playmobile?", a ficar com um sorriso amarelo quando, mais uma vez, tinha como resposta um "Não, não temos!", a sorrir ao ver uma caixa numa prateleira e esse sorriso passar a um "bolas!" entre dentes quando me apercebia que era "filho único", ...

Resumindo e baralhando, adorei:

- recordar alguns bonecos: dos Playmobile (a que confesso, nunca liguei muito em criança!), aos Pin&Pon (vi um presépio fantástico que "me ficou na lembradura", mas anda-se em época de vacas elegantes!);

- entrar em algumas lojas (como era e como está a saudosa "Loja da Boneca", única até há uns 20 anos por estes lados);

- fazer sprints como se estivesse em missão impossível (e foi, caneco!).

Fiquei a saber que a Playmobile terá uma política de vendas que não será "fácil" e nada de encontrar o que tanto queria.

Mesmo assim, valeu a pena, valeu!

E sabem que mais? PARABÉNS, R.! Gosto de ti, rapaz :O)

11.2.09

This blog


is almost in its "the end". I feel/need some changes and I've decided to go "somewhere else".

I still don't know if I'll wait till its 3rd birthday or not.

I'll tell you later.

3.2.09

Tomorrow...

... is another beginning.
Just let it flow!

25.1.09

The only animals

Sim, somos os únicos animais que:

- cada vez mais decidem a data em que as suas crias nascem, quase sempre sem necessidade;

- aceitam (tantas vezes sem alternativa ou força para contrariar) que estejam pessoas desconhecidas (quantas vezes um "batalhão") à sua volta, a invadir a sua intimidade, num momento tão fortemente belo e único;

- usam drogas, de várias espécies, para "ajudar" o parto;

- têm as suas crias em ambientes frios e desconhecidos, sem as palavras "aconchego" e "carinho" por perto;

- fazem cortes, que são dolorosos!, "para não rasgar";

- não se alimentam ou saceiam a sede durante o trabalho de parto;

- se deixam colocar na posição menos confortável, para si e cria, durante o trabalho de parto;

- têm as suas crias na posição mais difícil, menos fisiológica e confortável;

- têm as suas crias na posição mais confortável, sim!, mas para os técnicos de saúde;

- permitem que a sua cria lhes seja tirada e mostrada a um ou dois metros, sem que fique em contacto "pele com pele", "calor Mãe- Filho", troca de cheiros e olhares, de mimos, carinhos e explosões de amor e surpresa;

- aceitam que a sua cria só lhe seja entregue quase 1h depois (quando não mais), vestida (enchouriçada), sem o seu cheiro e os fluídos de quem, de facto, acabou de nascer e de si;

- não insiste o sificiente para amamentar (quando todas as circunstâncias o permitem), um dos melhores presentes a dar a um filhote - ler aqui é obrigatório!-, indispensável à sobrevivência em todas as outras espécies;

- questiona as outras Mães sobre a qualidade e quantidade do seu leite, deixando-as inseguras e a um passo de passar ao "biberon salvador";

- coloca e é incentivada a colocar a sua cria longe de si, excepto quando a alimenta (dormir com ela, dar colo, embalar - tudo isto cria maus hábitos! Engraçado como os outros animais, quando chega a hora, vão à sua vidinha e seguros, tal como nunca vi um adulto de chupeta na boca...);

- não alimentam as suas crias quando elas pedem, mas impõem-lhes intervalos certos de horas, como se fossem máquinas ou pequenos robots que é preciso olear de x em x horas;

- não podem ficar com as suas crias até elas serem mais autónomas, porque têm de ir trabalhar;

- não podem ficar com o coração pequenino porque deixam a SUA cria com outra pessoa, tantas vezes um ou mais desconhecidos (chama-se a isto instinto e é tão saudável e puro!);

- são criticadas porque têm saudades das suas crias e querem estar com elas ("Que dependência!", "Eles assim nem crescem.");

- acreditam que as crias criam imunidade mais cedo, quanto mais cedo forem para os Infantários (vão à vontade, mas estejam conscientes que só se cria imunidade quando o sistema imunitário está completo, o que só acontece por volta dos 2 ou 3 anos);

- são olhados de lado quando transportam as suas crias o mais perto do calor dos seus corpos (pano ou sling, por exemplo) e não andam de "carrinho XPTO com O padrão da moda" (também andem, mas não critiquem quem não optou assim ou usa as duas coisas!);

Por estas e por outras, me questiono muitas vezes o que quererá dizer, ao certo "racional", dado sermos os únicos "animais racionais".
E o instinto, onde fica? Esse aliado indispensável e que cada vez mais é abafado e esquecido!
Isto de se ser racional tem muitos prós, mas muito contras também!!

Os nossos bebés que o digam!

Looking for "good vibes"



D. is expecting her first baby son, and I'm with them in my heart, today.

She´s at home, with the right company, in one of the most strong and beautiful moments of her life!

Wish you all the good in the world, D. and R. !

15.1.09

Rapidinho, sff!

Hoje a "lua" é outra... mais "infantil", digamos assim.
Tenho de resolver mais esta! E rapidinho, sff!

13.1.09

12.1.09

Chamam-se "Flakes"

São da "Cuetara" e este monstro está-me mesmo a deixar loucamente viciada.

Com esta idade já devia era ter juízo, não?

9.1.09

7.1.09

Ontem

Fiquei com a lua e mais não digo, esperando ser só isso mesmo.

Vou para outras paragens, que é para aí que me apetece ir agora.
Fui!

2.1.09

Obrigada!

Este "Obrigada!" já foi dito há alguns meses a quem de direito, mas só hoje consigo ter uma fotografia e alguns minutos para transformar este "Obrigada!" num post, pois bem o merece.
Único, de uma simplicidade requintada, com um bom gosto extremo e dado, senti-o, com carinho e muita vontade.
Cada vez mais temos tendência a limitar-nos às fotografias no bendito computador. A minha tendência também vai sendo essa, mas não o meu desejo, a minha vontade.
Assim, já transformei para as saudosas fotografias de papel algumas que tinha numa pastona deste bicho e com elas vou "rechear" este álbum que é, sem sombra de dúvidas, magnífico!
Obrigada, C.!

29.12.08

Há dias recebi um saco...

..., mas não era um saco qualquer: era O saco!
Podemos chamar-lhe "o saco vai-e-vem", podemos chamar-lhe "o saco da Capuchinha Vermelha" (que devia ser laranja, note-se!), podemos chamar-lhe "o saco giraço de alguém muito querido" e muitas, muitas outras formas deliciosas de o chamar.
Lá dentro?
Um segredo bem guardado, partilhado entre duas pessoas, a ser construído a quatro mãos.
Cá fora?
Um bilhete, escrito dos dois lados, que encaminha para algo encantador e único, que guardo (como uma relíquia que é) e consulto, volta meia volta.
Obrigada, minha querida!


24.12.08

Saúde e União





Saúde e União!


Que sejam a "palavra de ordem" nesta época natalícia, assim como em todo o próximo ano... e Sempre!


Porque, afinal... "It is the sweet simple things of life which are the real ones after all".


14.12.08

Without

time, to come here and write some words.
Be back as soon as possible.
Promise!!

5.12.08

They're...


... pregnant!
And little Tomas is going to have a little sister or brother.
Wish you all 4 the best!

4.12.08

Ela fez anos!

Ontem!
E eu, na grande correria em que andei, nem lhe dei os Parabéns como merece (e mereces muito, tu sabes!).
Gosto muito de ti, Amiga!
E não é só quando fazes anos :O)

Onde?

No saco de ginástica...
Ele há cada uma!!! Incrível.

3.12.08

Resgate


Destas meninas, em outra casa, onde têm estado a descansar há... uns anos :O

Agora vou ver se lhes dou trabalhinho!

Um pormenor, de um dos pares, para a Terra-do-Bordalo-Pinheiro:

29.11.08

Já nasceu!

A "Pipoca" já nasceu. Ontem, já estava escuro e alguém tinha de "dar à luz" :O)
Apesar do frio da época, lá se armou de coragem e veio cá para fora ter com a malta!
A ela e aos Pais, mil Parabéns e as maiores Felicidades.
Sê benvinda, S.!

21.11.08

Obama's first decision

Já há dias tinha recebido um mail sobre o Obama que abominei.
Este segue-lhe as passadas.
Humor racista, pobre de espírito.
É triste!

19.11.08

Three white roses


Foi o que ontem deixei, como homenagem e símbolo de carinho e agradecimento, junto a uma pessoa a quem reconheço qualidades e que faleceu, estupidamente, sozinha em casa.
O carinho é extensível a um dos filhos, grande amigo, cujo sofrimento me fez sofrer.
Que a Paz e a Alegria voltem, tendo presente alguém que muito deu e pouco recebeu!